Os princípios da gestão da qualidade: Princípio 6 – Tomada de decisão com base em evidência

Compartilhe:

O processo de tomada de decisão, embora possa ser complexo e envolver incertezas, torna-se mais confiável e objetivo quando é baseado na análise de fatos, evidências e dados.

No penúltimo artigo da nossa série sobre os sete princípios da gestão da qualidade da Norma NBR ISO 9001:2015 – Requisitos para Sistemas de Gestão da Qualidade, abordamos o sexto princípio, a tomada de decisão com base em evidência. Reveja os nossos artigos anteriores: Os princípios da gestão da qualidade: Princípio 1 – Foco no clienteOs princípios da gestão da qualidade: Princípio 2 – Liderança, Os princípios da gestão da qualidade: Princípio 3 – Engajamento de Pessoas, Os princípios da gestão da qualidade: Princípio 4 – Abordagem de Processo e Os princípios da gestão da qualidade: Princípio 5 – Melhoria.

Para falarmos sobre a tomada de decisão baseada em evidência, primeiramente apresentamos o significado de evidência objetiva. De acordo com a NBR ISO 9000:2015, evidência objetiva é um fato (ou dados) que apoia a existência ou a veracidade de alguma coisa. Ela pode ser obtida através de observação, medição, ensaio, comunicação ou outros meios.

Decidir-se por algum caminho, alguma estratégia, algum compromisso com o cliente ou algum investimento a ser feito, é algo que envolve riscos. Risco é o efeito da incerteza. Incertezas podem gerar dificuldades, assim como podem se tornar oportunidades. As escolhas que fazemos, até mesmo na vida pessoal, são determinações ou julgamentos que normalmente possuem algum tipo de embasamento, podendo, em alguns casos, ser subjetivo (por exemplo, emocional). No entanto, numa organização, quando compreendemos as relações de causa e efeito e possíveis consequências não intencionais de uma decisão tomada, e para isto, baseamos esta decisão na análise de fatos, evidências e dados, a chance de obtermos os resultados desejáveis aumenta.

Os benefícios que uma organização pode obter com a aplicação deste princípio são:

  • Melhoria na avaliação do desempenho dos processos e na capacidade de alcançar os objetivos;
  • Melhoria na eficácia e na eficiência das operações;
  • Aumento da capacidade de analisar criticamente, desafiar e mudar opiniões e decisões;
  • Melhoria na capacidade de demonstrar a eficácia de decisões anteriores.

Para podermos obter as evidências e guiar a nossa tomada de decisão na organização, é recomendável considerar as seguintes ações:

  1. Estabelecer, medir e monitorar os principais indicadores que demonstrem o desempenho da organização, pois desta forma, é possível coletar os dados para embasamento das decisões;
  2. Disponibilizar todos os dados necessários para as pessoas pertinentes (por exemplo, para aqueles que analisam os dados e para aqueles que têm o poder de decidir por algo);
  3. Assegurar que os dados e as informações obtidas sejam suficientemente precisos, confiáveis e seguros;
  4. Analisar e avaliar dados e informações usando métodos adequados;
  5. Assegurar que as pessoas tenham competência para analisar e avaliar os dados, conforme necessário (por exemplo, fornecendo treinamentos ou orientações aos responsáveis);
  6. Com base nas evidências e na análise dos dados, tomar decisões e executar ações, equilibradas com experiência e intuição.

O fator incerteza sempre estará presente na tomada de decisão, em maior ou menor grau. Não é possível assegurar que todos os resultados desejáveis serão atingidos em todos os momentos. Porém, a análise de dados concretos, precisos e verídicos nos leva a uma maior objetividade e confiança na tomada de decisões.

Como os gestores e líderes de sua empresa tomam decisões? Estão estabelecidos indicadores e um processo de medição e monitoramento que permitam a obtenção de evidências e a análise de dados para a tomada de decisões objetivas e confiáveis? Você tem algum exemplo prático de sua empresa para ser compartilhado? Deixe seu comentário e continue acompanhando o nosso Portal. No próximo artigo, vamos falar sobre a gestão do relacionamento.

Compartilhe:

Camila Lobo Miret

Formada em Engenharia de Alimentos pela UNICAMP em 2003 e Mestre em Tecnologia Alimentar/Qualidade pela Universidade Nova de Lisboa em 2007, é proprietária da Especia Consultoria em Qualidade, empresa fundada em 2012 e especializada em consultoria e treinamento na área de segurança de alimentos e qualidade para a indústria alimentícia e de embalagens, com foco nas normas FSSC 22000, ISO 22000, ISO 9001, APPCC e BPF. Possui experiência em organismos de certificação reconhecidos, realizando trabalhos como auditora de certificação e instrutora de treinamentos em FSSC 22000, ISO 22000 e ISO 9001, e experiência na área de qualidade e segurança de alimentos em indústrias de massas secas e de produtos derivados de tomate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *